segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Candidato do Enem faz simulado e estuda 10 h por dia para ser médico

Matheus Klinsmann de Souza Donato tem 19 anos e segue uma rotina de estudos de mais de dez horas por dia para ter um grande desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que será nos dias 8 e 9 de novembro. Matheus Klinsmann precisa de uma boa nota no Enem para poder disputar vagas em cursos de medicinas das universidades federais. Para isso, treina os seus conhecimentos na plataforma Geekie Games, que traz simulados e planos de estudos personalizados com foco nos pontos fracos apresentados nos exercícios.
"Entrei na plataforma e fiquei fazendo as atividades de diagnóstico do meu desempenho", conta o estudante. "Fiz os simulados e já tive uma ótima evolução principalmente na área de ciências da natureza. Está sendo muito legal participar da plataforma. O erro é pontual, consegue identificar seus pontos fracos."
O jovem nascido em Catolé do Rocha, no sertão da Paraíba, vive com os pais em Mossoró (RN). Apesar dele ter nascido no ano seguinte à conquista do tetracampeonato mundial do Brasil, o pai de Matheus Klinsmann resolveu homenagear jogadores da Alemanha na hora de batizar o filho. Seu nome foi inspirado nos ex-jogadores alemães Lothar Matthaeus e Jürgen Klinsmann.
"Eu até gosto de futebol, mas minha paixão mesmo é a medicina", afirma o estudante. "Quero me especializar em cardiologia e cuidar do coração das pessoas. Também pretendo fazer trabalhos de assistência humanitária para a população carente. Sempre quis ajudar 
Matheus Klinsmann fez todo o ensino médio em escola pública, no Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), e por isso pode concorrer como cotista no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Ele quer entrar no curso de medicina da Universidade Federal da Paraíba ou da Universidade Federal de Campina Grande.
Matheus já fez o Enem três vezes, sendo aprovado no Sisu para os cursos de ciência e tecnologia e filosofia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e de fonoaudiologia da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).Ele, no entanto, preferiu seguir estudando para pode fazer medicina. "Estudo de segunda a segunda. Prefiro não ter lazer, e quero pegar bem pesado no domingo", explica. "Eu sou persistente naquilo em que acredito e não vou desistir. Se não estou em uma universidade ainda é por opção."
O jovem lembra que teve o ensino médio prejudica pelas greves nas universidades federais em 2011 e 2012, que afetou as aulas do ensino médio no IFRN. Este ano, ele preferiu se preparar para o Enem desde cedo, estudando em casa. "Já devorei vários livros e tenho focado meus estudos naquilo que tenho mais dificuldades. Nisso o simulado Geekie Games me ajuda muito", diz. "Estou confiante para fazer boas provas no Enem e uma boa redação também."
Mais dois simulados
Quem vai fazer o Enem pode fazer ainda dois simulados Geekie Games até as provas. Na plataforma online, o estudante encontra exercícios para testar o seu conhecimento e fazer uma avaliação diagnóstica, e provas nas quatro área do conhecimento do Enem (ciências humanas, ciências da natureza, linguagens e matemática).
Para participar, é necessário fazer um cadastro grátis no próprio site. A primeira atividade sugerida é um teste diagnóstico. O candidato então recebe um plano de estudos personalizado baseado nos seus resultados, apontando os pontos fortes e fracos. Cada passo que o estudante dá na plataforma é registrado e, à medida que ele vai avançando, o programa se ajusta às suas necessidades.
O simulado usa a TRI (Teoria de Resposta ao Item), a mesma metodologia utilizada no Enem, por isso permite fazer uma estimativa de quanto o candidato tiraria na prova. Assim como o Enem, o simulado é dividido em duas partes, cada uma com duração de quatro horas e meia. A primeira parte traz dois cadernos de perguntas: um deles com perguntas de ciências humanas e perguntas de ciências da natureza, assim como o primeiro dia de provas do Enem.
A segunda parte traz questões de linguagens e questões de matemática. Depois que o estudante começa a responder os cadernos de questões, não é mais possível parar, assim como a prova real. Também não há opção de fazer o mesmo simulado mais de uma vez. O segundo simulado pode ser feito até terça-feira (30). Na quarta (1º), estará disponível o terceiro e último simulado, que poderá ser feito até 9 de novembro, data da última prova do Ene

App otimiza tempo de estudo e traz simulados interativos do Enem, no AM

Aplicativo já está disponível para download na platatorma Android (Foto: Katiuscia Monteiro/G1 AM)Aplicativo já está disponível para download na platatorma Android (Foto: Katiuscia Monteiro/G1 AM)
Com redes sociais surgindo em diferentes momentos e conteúdos de todo tipo na internet, muitos candidatos ao vestibular e a concursos podem encontrar dificuldade para se concentrar nos estudos. Por isso, o "filão" dos aplicativos que facilitam a preparação para provas importantes vem sendo explorado. Um exemplo é o ConectEnem, app gratuito voltado àqueles que vão prestar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A ferramenta, lançada nesta quinta-feira (25) pelo Centro Universitário do Norte (UniNorte), em Manaus, permite otimizar o tempo de estudo, além de disponibilizar simulados interativos.
Segundo o Uninorte, o app foi desenvolvido pela rede internacional de universidades. Atualmente, ele está disponível apenas para usuários do sistema Android, mas, em breve, adeptos do iOS também poderão utilizá-lo.
No aplicativo, além de poder realizar simulados, os estudantes podem consultar provas antigas. A analista de mídias sociais da Instituição, Larissa Cruz, explicou que o ConectEnem ajuda o aluno a elaborar roteiros de estudo e a agendar atividades e horários de forma detalhada.
A ferramenta contabiliza as horas que o usuário passa na internet estudando, ou navegando em redes sociais, podendo avisá-lo quando "extrapolar" esse tempo.
"É um aplicativo que, no ano passado, começou em uma faculdade da rede e está sendo expandido para todas as faculdades. As pessoas que usarem o sistema vão poder fazer provas passadas do Enem, além de calcular seu tempo enquanto responde. Também terão dicas relacionadas ao Enem, de alimentação, de como se preparar para estudar e para a própria prova", informou a analista.
Os usuários que conseguirem seguir o roteiro de estudos e realizar todas as atividades são "premiados" com medalhas virtuais de incentivo. As pontuações podem ser divulgadas nas redes sociais. Segundo a instituição, a ideia é criar uma rede de competição entre pessoas de todo país com ranking de medalhas.

Para participar, os interessados deverão acessar o site ConectENEM, no endereço www.conectenem.com.br, ou baixar o aplicativo, disponível para Android, cadastrar-se e montar os roteiros de estudos.

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Após matrícula, aprovado aos 14 em medicina diz que 'ficha não caiu'

Francisco Rodrigues se matriculou nesta segunda-feira em Sobral. 
Estudante afirma que quer fazer Enem novamente neste ano.

Mesmo depois de realizar a matrícula para o curso de Medicina nesta segunda-feira (20), no campus da Universidade Federal do Ceará (UFC) em Sobral, Francisco Rodrigues de Castro Júnior diz que a "ficha não caiu completamente". O estudante de 14 anos fez Enem pela primeira vez no ano passado e foi um dos 80 aprovados em dos cursos mais disputados. "A ficha vai cair de vez só no primeiro dia de aula", afirma.
De acordo com o calendário da UFC, nos 6 e 7 de fevereiro serão para a confirmação da matrícula e, no dia 10 de fevereiro, será o início das aulas do primeiro semestre para metade dos aprovados. Como ficou em 21° lugar de um total de 40 da ampla concorrência, se houver alguma desistência, Francisco poderá começar os estudos na universidade ainda em fevereiro. Caso contrário, ele começa a frequentar as aulas no segundo semestre.
O adolescente que cursou no ano passado o segundo ano do ensino médico recebeu na sexta-feira (17), o certificado de conclusão obrigatório para a matrícula. Independente das aulas no curso de medicina, Francisco afirma que vai fazer o Enem novamente este ano. "Farei para ver o quanto eu enferrujarei neste ano", explica.
O menino, que nasceu em Sobral mas passou toda a infância em Mucambo, a 281 quilômetros de Fortaleza, fez Enem pela primeira vez para testar os conhecimentos. No 2º ano do ensino médio, ele conseguiu 791,2 pontos na avaliação. “Fiz despretensiosamente. Não imaginava que teria essa pontuação. Meus amigos que falaram que com esse resultado conseguiria entrar em medicina na UFC”, conta.
Além de ser aprovado em medicina, Franciso também passou no vestibular tradicional da Universidade Estadual do Ceará (Uece), alcançando o primeiro lugar no curso de química. “Como soube da pontuação do Enem antes do resultado da Uece, já esperava que também me sairia bem”, afirma. Apesar da pouca idade e das opções, Francisco diz estar decidido em começar a cursar medicina o mais rápido possível. “Eu me acho novo, mas sei que consigo lidar com isso. Vai dar certo ”.
Veteranos
Depois que soube do resultado no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), Francisco passou a participar de um grupo em uma rede social de interação entre novatos e veteranos do curso de Medicina em Sobral.  Lá, o “bicho”, como são apelidados os calouros, conheceu e foi batizado por outro cearense, Tiago Dirceu Saraiva, que teve uma história parecida com a dele.
Tiago, com 15 anos recém-completados, também foi aprovado no curso de medicina da UFC, no campus de Sobral. Quando fez o exame, ele tinha apenas 14 anos e cursava o 1° ano. Na época, ele também disse que fez o Enem para testar. "Fiz sem acreditar muito, quando saiu a nota, tive mais esperança. Me inscrevi no Sisu em Sobral e veio a surpresa", lembra o estudante.
Francisco diz que o veterano tem dado dicas sobre a faculdade e, mesmo sem encontrarem pessoalmente, os dois descobriram outras afinidades. "Ele me tira algumas dúvidas sobre a faculdade e acabamos nos identificando fora medicina. Nós dois gostamos de escrever e temos trocado textos", conta. 

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Notas de Corte SISU 2014.1

FURG Rio Grande Ampla Concorrência 799,06
FURG Rio Grande Cota racial, 1,5 SM 758
FURG Rio Grande Esc. pública, 1,5 SM 762,91
FURG Rio Grande Cota racial. Renda livre 769,55
FURG Rio Grande Candidato com deficiência. 780,22
FURG Rio Grande Esc. pública, renda livre 786,24
UESB Jequié Cota racial esc. pública 733,59
UESB Jequié Cota escola pública 759,41
UESB Jequié Ampla Concorrência 780,21
UESC Ilhéus – Salobrinho Indígenas ou Quilombolas 728,21
UESC Ilhéus – Salobrinho Cota racial Esc. Pública 741,86
UESC Ilhéus – Salobrinho Cota Esc. Pública 763,32
UESC Ilhéus – Salobrinho Ampla Concorrência 785,46
UESPI Teresina Cota racial esc. pública 710,31
UESPI Teresina Escola Pública 731,51
UESPI Teresina Ampla Concorrência 765,88
UFAC Rio Branco Cota racial, 1,5 SM 700,21
UFAC Rio Branco Cota racial. Renda livre 711,56
UFAC Rio Branco Esc. pública, 1,5 SM 713,55
UFAC Rio Branco Candidato com deficiência. 728,98
UFAC Rio Branco Esc. pública, renda livre 731,46
UFAC Rio Branco Ampla Concorrência 752,43
UFAL Maceió Cota racial, 1,5 SM 728,58
UFAL Maceió Esc. pública, renda livre 728,66
UFAL Maceió Esc. pública, 1,5 SM 738,42
UFAL Maceió Cota racial. Renda livre 747
UFAL Maceió Ampla Concorrência 777,9
UFAM Fac. de Medicina Cota racial, 1,5 SM 729,63
UFAM Fac. de Medicina Cota racial. Renda livre 738,86
UFAM Fac. de Medicina Esc. pública, 1,5 SM 740,09
UFAM Fac. de Medicina Esc. pública, renda livre 754,2
UFAM Fac. de Medicina Ampla Concorrência 772,25
UFBA Salvador Cota Indígena esc.. pública 711,19
UFBA Salvador Cota racial, 1,5 SM 726,27
UFBA Salvador Esc. pública, 1,5 SM 741,11
UFBA Salvador Cota racial. Renda livre 743,82
UFBA Salvador Esc. pública, renda livre 752,59
UFBA Salvador Ampla Concorrência 777,7
UFC Cariri Cota racial, 1,5 SM 723,58
UFC Sobral Cota racial, 1,5 SM 724,22
UFC Fortaleza Cota racial, 1,5 SM 730,18
UFC Cariri Cota racial. Renda livre 733,38
UFC Sobral Cota racial. Renda livre 736,16
UFC Cariri Esc. pública, 1,5 SM 737,02
UFC Sobral Esc. pública, 1,5 SM 737,08
UFC Fortaleza Esc. pública, 1,5 SM 742,28
UFC Fortaleza Cota racial. Renda livre 746,44
UFC Cariri Esc. pública, renda livre 746,56
UFC Sobral Esc. pública, renda livre 764,8
UFC Fortaleza Esc. pública, renda livre 764,94
UFC Cariri Ampla Concorrência 780,82
UFC Sobral Ampla Concorrência 785,74
UFC Fortaleza Ampla Concorrência 793,2
UFCSPA Porto Alegre Cota racial, 1,5 SM 740,12
UFCSPA Porto Alegre Esc. pública, 1,5 SM 765,3
UFCSPA Porto Alegre Cota racial. Renda livre 767,78
UFCSPA Porto Alegre Esc. pública, renda livre 791,26
UFCSPA Porto Alegre Ampla Concorrência 795,48
UFF Fac. de Medicina Cota racial, 1,5 SM 741,92
UFF Fac. de Medicina Esc. pública, 1,5 SM 748,7
UFF Fac. de Medicina Cota racial. Renda livre 756,88
UFF Fac. de Medicina Esc. Públ. Mun. e Estadual 768,49
UFF Fac. de Medicina Esc. pública, renda livre 775,61
UFF Fac. de Medicina Ampla Concorrência 790,23
UFG Goiânia Cota racial, 1,5 SM 748,96
UFG Goiânia Cota racial. Renda livre 768,32
UFG Goiânia Esc. pública, 1,5 SM 775,06
UFG Goiânia Esc. pública, renda livre 791,74
UFG Goiânia Ampla Concorrência 799,02
UFGD Dourados Cota racial, 1,5 SM 728,74
UFGD Dourados Cota racial. Renda livre 742,54
UFGD Dourados Esc. pública, 1,5 SM 752,8
UFGD Dourados Esc. pública, renda livre 762,72
UFGD Dourados Ampla Concorrência 781,72
UFJF Governador Valadares Cota racial, 1,5 SM 742,86
UFJF Governador Valadares Esc. pública, 1,5 SM 750,9
UFJF Governador Valadares Cota racial. Renda livre 753,04
UFJF Juiz de Fora Cota racial, 1,5 SM 755,72
UFJF Juiz de Fora Esc. pública, 1,5 SM 760,88
UFJF Juiz de Fora Cota racial. Renda livre 770,26
UFJF Governador Valadares Esc. pública, renda livre 776,16
UFJF Juiz de Fora Esc. pública, renda livre 785,84
UFJF Governador Valadares Ampla Concorrência 787,68
UFJF Juiz de Fora Ampla Concorrência 799,42
UFMA São Luís Indígena Esc. Pública 695,22
UFMA Pinheiro Indígena Esc. Pública 719,66
UFMA São Luís Indígenas, E. P. até 1,5 SM 719,84
UFMA Pinheiro Cota racial esc. Pública 720,86
UFMA Pinheiro Indígenas, E. P. até 1,5 SM 722,02
UFMA São Luís Indígenas, E. P. até 1,5 SM 722,34
UFMA Pinheiro Indígenas, esc. pública 725,44
UFMA São Luís Cota racial esc. Pública 726,2
UFMA São Luís Cota racial esc. Pública 726,94
UFMA São Luís Indígena Esc. Pública 728,66
UFMA São Luís Indígenas, esc. pública 732,5
UFMA São Luís Esc. pública, 1,5 SM 734,1
UFMA São Luís Candidato com deficiência. 736,36
UFMA Pinheiro Esc. pública, 1,5 SM 737,68
UFMA São Luís Esc. pública, 1,5 SM 740,76
UFMA São Luís Esc. pública, renda livre 741,76
UFMA São Luís Indígenas, esc. pública 744,28
UFMA Pinheiro Esc. pública, renda livre 746,16
UFMA São Luís Esc. pública, renda livre 746,6
UFMA Pinheiro Candidato com deficiência. 747,54
UFMA São Luís Candidato com deficiência. 756,22
UFMA Pinheiro Ampla Concorrência 770,62
UFMA São Luís Ampla Concorrência 773,88
UFMA São Luís Ampla Concorrência 783,32
UFMG Campus Saúde Cota racial, 1,5 SM 771,76
UFMG Campus Saúde Esc. pública, 1,5 SM 778,32
UFMG Campus Saúde Cota racial. Renda livre 792,24
UFMG Campus Saúde Esc. pública, renda livre 798,04
UFMG Campus Saúde Ampla Concorrência 805,72
UFMS Campo Grande Cota racial, 1,5 SM 744,25
UFMS Campo Grande Cota racial. Renda livre 760,37
UFMS Campo Grande Esc. pública, 1,5 SM 761,59
UFMS Campo Grande Esc. pública, renda livre 780,61
UFMS Campo Grande Ampla Concorrência 794,55
UFMT Rondonópolis Cota racial, 1,5 SM 720,84
UFMT Sinop Cota racial, 1,5 SM 721,8
UFMT Rondonópolis Cota racial. Renda livre 732,68
UFMT Cuiabá Cota racial, 1,5 SM 732,82
UFMT Sinop Cota racial. Renda livre 734,86
UFMT Rondonópolis Esc. pública, 1,5 SM 739,14
UFMT Sinop Esc. pública, 1,5 SM 739,54
UFMT Cuiabá Cota racial. Renda livre 741,28
UFMT Cuiabá Esc. pública, 1,5 SM 743,96
UFMT Sinop Esc. pública, renda livre 753,02
UFMT Rondonópolis Esc. pública, renda livre 757,18
UFMT Cuiabá Esc. pública, renda livre 763,66
UFMT Sinop Ampla Concorrência 774
UFMT Rondonópolis Ampla Concorrência 777,54
UFMT Cuiabá Ampla Concorrência 785,02
UFOP Ouro Preto Cota racial, 1,5 SM 774,36
UFOP Ouro Preto Cota racial. Renda livre 781,96
UFOP Ouro Preto Esc. pública, 1,5 SM 789,84
UFOP Ouro Preto Esc. pública, renda livre 799,1
UFOP Ouro Preto Ampla Concorrência 809,16
UFPA Belém Cota racial, 1,5 SM 747,44
UFPA Belém Cota racial. Renda livre 760,76
UFPA Belém Ampla Concorrência 871,31
UFPA Belém Cota Regional 871,31
UFPB João Pessoa Cota racial, 1,5 SM 733,06
UFPB João Pessoa Esc. pública, 1,5 SM 742,02
UFPB João Pessoa Cota racial. Renda livre 750,26
UFPB João Pessoa Candidato com deficiência. 751,1
UFPB João Pessoa Esc. pública, renda livre 773,54
UFPB João Pessoa Ampla Concorrência 786,34
UFPEL Pelotas Cota racial, 1,5 SM 744,72
UFPEL Pelotas Esc. pública, 1,5 SM 754,92
UFPEL Pelotas Cota racial. Renda livre 755,04
UFPEL Pelotas Esc. pública, renda livre 780,5
UFPEL Pelotas Ampla Concorrência 789,48
UFPI Teresina Cota racial, 1,5 SM 727,51
UFPI Teresina Cota racial. Renda livre 738,35
UFPI Teresina Esc. pública, renda livre 764,04
UFPI Teresina Esc. pública, 1,5 SM 766,64
UFPI Teresina Ampla Concorrência 778,99
UFPR Curitiba Cota racial, 1,5 SM 758,56
UFPR Curitiba Esc. pública, 1,5 SM 768,58
UFPR Curitiba Cota racial. Renda livre 770,12
UFPR Curitiba Esc. pública, renda livre 800,04
UFPR Curitiba Ampla Concorrência 804,46
UFRJ Macaé Cota racial, 1,5 SM 762,53
UFRJ Macaé Cota racial. Renda livre 762,97
UFRJ Cid. Universitária Cota racial, 1,5 SM 766,39
UFRJ Macaé Esc. pública, 1,5 SM 769,9
UFRJ Cid. Universitária Cota racial. Renda livre 785,44
UFRJ Cid. Universitária Esc. pública, 1,5 SM 785,92
UFRJ Macaé Esc. pública, renda livre 791,25
UFRJ Macaé Ampla Concorrência 804,34
UFRJ Cid. Universitária Esc. pública, renda livre 807,24
UFRJ Cid. Universitária Ampla Concorrência 822,82
UFRN Câmpus da Saúde Cota racial, 1,5 SM 732,81
UFRN Câmpus da Saúde Esc. pública, 1,5 SM 739,46
UFRN Câmpus da Saúde Cota racial. Renda livre 742,3
UFRN Câmpus da Saúde Esc. pública, renda livre 770,74
UFRN Câmpus da Saúde Ampla Concorrência 780,04
UFRR Boa Vista Cota racial, 1,5 SM 714,69
UFRR Boa Vista Cota racial. Renda livre 731,61
UFRR Boa Vista Candidato com deficiência. 734,29
UFRR Boa Vista Ampla Concorrência 768,29
UFS Lagarto Cota racial, 1,5 SM 724,3
UFS Aracaju Cota racial, 1,5 SM 727,92
UFS Lagarto Cota racial. Renda livre 728,58
UFS Lagarto Esc. pública, 1,5 SM 735,48
UFS Aracaju Esc. pública, 1,5 SM 739,36
UFS Aracaju Cota racial. Renda livre 740,62
UFS Lagarto Candidato com deficiência. 745,14
UFS Lagarto Esc. pública, renda livre 747,68
UFS Aracaju Candidato com deficiência. 750,16
UFS Aracaju Esc. pública, renda livre 763,76
UFS Lagarto Ampla Concorrência 774,18
UFS Aracaju Ampla Concorrência 779,44
UFSCAR São Carlos Cota racial, 1,5 SM 721,49
UFSCAR São Carlos Esc. pública, 1,5 SM 733,61
UFSCAR São Carlos Cota racial. Renda livre 745,6
UFSCAR São Carlos Esc. pública, renda livre 760,77
UFSCAR São Carlos Ampla Concorrência 780,06
UFSJ São João del-Rei Esc. pública, renda livre 712,02
UFSJ Divinópolis Cota racial, 1,5 SM 716,9
UFSJ São João del-Rei Cota racial, 1,5 SM 719,17
UFSJ São João del-Rei Cota racial. Renda livre 723,64
UFSJ Divinópolis Esc. pública, 1,5 SM 730,77
UFSJ Divinópolis Cota racial. Renda livre 730,96
UFSJ São João del-Rei Esc. pública, 1,5 SM 740,72
UFSJ Divinópolis Esc. pública, renda livre 741,19
UFSJ Divinópolis Ampla Concorrência 761,98
UFSJ São João del-Rei Ampla Concorrência 762,3
UFT Palmas Cota racial, 1,5 SM 724
UFT Palmas Cota racial. Renda livre 737,48
UFT Palmas Ampla Concorrência 782,48
UFTM Uberaba Cota racial, 1,5 SM 742,56
UFTM Uberaba Esc. pública, 1,5 SM 755,66
UFTM Uberaba Cota racial. Renda livre 767,62
UFTM Uberaba Esc. pública, renda livre 787,36
UFTM Uberaba Ampla Concorrência 803,58
UFU Uberlândia Cota racial, 1,5 SM 741,12
UFU Uberlândia Cota racial. Renda livre 755,13
UFU Uberlândia Esc. pública, 1,5 SM 763,15
UFU Uberlândia Esc. pública, renda livre 789,85
UFU Uberlândia Ampla Concorrência 800,23
UFV Viçosa Cota racial, 1,5 SM 749,68
UFV Viçosa Esc. pública, 1,5 SM 762,36
UFV Viçosa Cota racial. Renda livre 777,22
UFV Viçosa Esc. pública, renda livre 782,4
UFV Viçosa Ampla Concorrência 793,88
UFVJM Diamantina Esc. pública, 1,5 SM 712,93
UFVJM Diamantina Cota racial, 1,5 SM 731,65
UFVJM Diamantina Cota racial. Renda livre 738,75
UFVJM Diamantina Esc. pública, renda livre 755,84
UFVJM Diamantina Ampla Concorrência 772,4
UNB Brasília Esc. pública, 1,5 SM 745,63
UNB Brasília Cota racial, 1,5 SM 761,66
UNB Brasília Cota Racial 792,82
UNB Brasília Cota racial. Renda livre 794,14
UNB Brasília Ampla Concorrência 818,31
UNEMAT Cáceres Cota racial Esc. Pública 748,6
UNEMAT Cáceres Cota racial 766,94
UNEMAT Cáceres Ampla Concorrência 779,81
UNIFAL-MG Alfenas Cota racial, 1,5 SM 738,32
UNIFAL-MG Alfenas Cota racial. Renda livre 745,03
UNIFAL-MG Alfenas Esc. pública, 1,5 SM 749,12
UNIFAL-MG Alfenas Esc. pública, renda livre 763,14
UNIFAL-MG Alfenas Ampla Concorrência 779,66
UNIFAP Macapá Cota racial, 1,5 SM 732,1
UNIFAP Macapá Cota racial. Renda livre 734,86
UNIFAP Macapá Ampla Concorrência 772,96
UNIOESTE Francisco Beltrão Cota racial esc. pública 770,73
UNIOESTE Cascavel Cota racial esc. pública 776,16
UNIOESTE Francisco Beltrão Ampla Concorrência 790,73
UNIOESTE Cascavel Ampla Concorrência 795,63
UNIRIO Rio de Janeiro Cota racial, 1,5 SM 741,92
UNIRIO Rio de Janeiro Esc. pública, 1,5 SM 751,06
UNIRIO Rio de Janeiro Cota racial. Renda livre 752,18
UNIRIO Rio de Janeiro Esc. pública, renda livre 777,66
UNIRIO Rio de Janeiro Ampla Concorrência 792,66
UNIVASF Petrolina Cota racial, 1,5 SM 726,98
UNIVASF Petrolina Esc. pública, 1,5 SM 731,3
UNIVASF Petrolina Cota racial. Renda livre 737,18
UNIVASF Petrolina Esc. pública, renda livre 755,06
UNIVASF Petrolina Ampla Concorrência 776,36